Aviso: Se não quiser spoiler, pule a sinopse que está depois do "Ler Mais"!

Livro: Feita de Fumaça e Osso
Série: Feita de Fumaça e Osso
Volume: #1
Autor:  Laini Taylor
Gênero: Fantasia;
Páginas: 384
Editora: Intrínseca
Ano de Publicação: 2012


Sinopse: Pelos quatro cantos da Terra, marcas de mãos negras aparecem nas portas das casas, gravadas a fogo por seres alados que surgem de uma fenda no céu. Em uma loja sombria e empoeirada, o estoque de dentes de um demônio está perigosamente baixo. E, nas tumultuadas ruas de Praga, uma jovem estudante de arte está prestes a se envolver em uma guerra de outro mundo. O nome dela é Karou. Seus cadernos de desenho são repletos de monstros que podem ou não ser reais; ela desaparece e ressurge do nada, despachada em enigmáticas missões; fala diversas línguas, nem todas humanas, e seu cabelo azul nasce exatamente dessa cor. Quem ela é de verdade? A pergunta a persegue, e o caminho até a resposta começa no olhar abrasador de um completo estranho. Um romance moderno e arrebatador, em que batalhas épicas e um amor proibido unem-se na esperança de um mundo refeito.

Primeira frase da página 100: “Karou olhou para ela, piscando. As sombras estavam se fechando ao seu redor”.

Do que se trata o livro? De uma guerra entre anjos e quimeras (uma combinação heterogênea de elementos diversos) que dura mais de mil anos.

O que está achando até agora? Surpreendente, apesar de ter lido a sinopse e me interessado muito, não achei que a trama seria tão complexa e engenhosa como está sendo.

O que está achando dos personagens? Estou gostando muito de conhece-los, ainda tem alguns aparecendo.

Melhor quote até agora: Até postei no Instagram de tão amorzinho que foi. É um diálogo entre Karou e Zuzana, sua melhor amiga.

– As borboletas no estômago – Karou suspirou. – Eu sei. Sabe o que eu acho? Acho que as borboletas estão sempre no seu estômago, em todo mundo, o tempo todo...
– Como bactérias?
– Não, não como bactérias, como borboletas, e as borboletas de algumas pessoas reagem às outras por algum motivo químico, tipo feromônio, de forma que, quando estão próximas, suas borboletas começam a dançar. Elas não podem evitar... é químico.
– Químico. Isso, sim, é romântico.
– Não é mesmo? Borboletas idiotas.

Vai continuar lendo? Claro que sim! Não só esse, mas já quero a trilogia toda.

Última frase da páginas 100: “Isso não era parte do sonho”.

Deixe um comentário

• Bem vindos!
• Antes de comentar, leia a postagem.
• Estou aberta a críticas, elogios e sugestões. Porém, use o bom senso.
• Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu retribua a visita.
• Volte sempre!