Faltam poucas semanas para começar uma nova idade e pela primeira vez a euforia deu espaço para a calmaria. Alguns chamam isso de maturidade, eu chamo de resiliência! Há vários significados para essa palavra, mas a minha favorita é: “a capacidade de uma pessoa lidar com seus próprios problemas, vencer obstáculos e não ceder à pressão, seja qual for a situação”.

De tempos em tempos, a nossa habilidade de adaptação é testada. Isso acontece com todos nós em diferentes etapas da vida. E o principal objetivo da resiliência não é restaurar o passado, mas sim propiciar condições de dar um salto para frente e saímos da inércia. E de verdade? Isso parece fácil e lindo na teoria, mas a prática é bem diferente.

Mas antes de chegar de fato na resiliência, vamos falar sobre a minha ansiedade. Por favor, peço que antes de você revirar seus olhos e/ou me julgar, que você me leia. Se não for capaz de fazer isso, prefiro que feche a postagem agora. Precisamos sim falar da ansiedade que é considerada o mal do século, mas começarei devagar.


“Pode ser assustador descobrir que estava errado sobre uma coisa. Mas não podemos ter medo de mudar nosso pensamento. Aceitar que as coisas são diferentes. Que nunca mais serão as mesmas. Para o bem… ou para o mal. Temos que estar prontos para abrir mão do que acreditávamos. Quanto mais estivermos prontos para aceitar os fatos…e não o que pensávamos…Nós nos encontramos no nosso lugar”. (Meredith Grey)

E assim com essa frase anuncio a nova fase do blog!