Título: Memórias de Minhas Putas Tristes
Título Original: Memorias de mis putas tristes
Autor: Gabriel García Marquéz
Editora: Record
Ano: 2009
Páginas: 130
Para saber mais: Skoob

Sinopse: Memória de minhas putas tristes desfia as lembranças de vida desse inesquecível e solitário personagem em mais um vigoroso livro de Gabriel García Márquez. O leitor irá acompanhar as aventuras sexuais deste senhor, narrador dessas memórias, que vai viver cerca de cem anos de solidão embotado e embrutecido, escrevendo crônicas e resenhas maçantes para um jornal provinciano, dando aulas de gramática para alunos tão sem horizontes quanto ele, e, acima de tudo, perambulando de bordel em bordel, dormindo com mulheres descartáveis, até chegar, enfim, a esta inesperada e surpreendente história de amor.



O que não fazemos para arrumar um crush quando se é novinha né meus amores? Lembro que estava fazendo testes para trocar livros em sebos e se arrependimento matasse, juro que essa seria a minha situação. O arrependimento pelas trocas no sebo, mas não pela leitura, ok?

Não julgue um livro pela capa, ou nesse caso, pelo título. Se fosse por livre e espontânea vontade eu nunca teria conhecido esse livro. Então eu fui fazer uma troca no sebo próximo ao meu trabalho e pedi uma indicação ao Pedro que trabalha lá. Ele torceu o nariz para todas as minhas escolhas, mas então ele achou esse livro escondido e pelo preço que cabia certinho no meu vale troca. Nunca tinha lido um Nobel de Literatura, mas pelo título eu não o levaria nunca. Mas o Pedro me convenceu ao contrário e acabei trazendo o livro pra casa. Fiquei uns dias encarando aquela capa branca e o velhinho nela e fiquei intrigada o bastante para querer começa-lo. As pessoas que andavam comigo no ônibus me olhavam como se eu estivesse com uma revista de nudez explícita, por causa do título. Mas enquanto eu lia eu ficava cada vez mais apaixonada e encantada por ele.

O personagem principal, um jornalista da terceira idade que escreve crônicas para um jornal da cidade. Em suas memórias narra suas aventuras sexuais, mas nunca relata o amor. Escolhido seu presente de noventa anos, ele segue para o bordel da cidade e ao ver a jovem de costas, completamente nua, sua vida muda completamente. Quando acorda ao lado da ainda pura ninfeta, o personagem finalmente ganha a humanidade que lhe faltou enquanto fugia do amor quando era mais jovem. Mas ele se vê em um dilema, agora que finalmente conheceu o amor, ele se vê a beira da morte também. Mas não por causa da idade, mas sim por causa do amor. Sempre estudei na escola que há muito tempo atrás os homens de fato morriam por amor.

Conforme a leitura vai fluindo, você vê a mudança do personagem. Não tem como não se encantar pela leitura. Porque o autor relata um amor que está perdido, um amor que não tem interesse, Gabriel García Marquéz descreve o amor em sua forma mais pura e ingênua que existe. 

Deixe um comentário

• Bem vindos!
• Antes de comentar, leia a postagem.
• Estou aberta a críticas, elogios e sugestões. Porém, use o bom senso.
• Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu retribua a visita.
• Volte sempre!