Título: A Garota dos Pés de Vidro
Título Original: The Girl with Glass Feet
Autor: Ali Shaw
Editora: LeYa
Ano: 2010
Páginas: 288
Para saber mais: Skoob

Sinopse: Midas é um tímido fotógrafo ilhéu. Ida é uma jovem aventureira que vem ao arquipélago de Saint Hauda's Land buscar a cura para sua misteriosa doença. Ela está se transformando em vidro e juntos buscam uma solução. O que eles mais precisam é de tempo - e o tempo está passando rápido. Será que vão encontrar uma maneira de evitar a propagação do vidro?




Tinha tudo para dar certo, mas deu muito errado! Quando se está começando no mundo dos livros, nossa referência entre livro bom e livro ruim pode ser um pouco confusa. Esse não era o meu caso, rs.

Meu gosto pela leitura é bastante eclético e costumo me aventurar por quase todos os gêneros. Fantasia urbana é um dos meus gêneros favoritos desde que criei o blog. Mas não foi isso o que aconteceu em “A Garota dos Pés de Vidro”.

O autor começou muito bem a história e me deixou bastante interessada e curiosa para saber mais sobre os moradores da ilha. O ambiente criado por ele é monocromático e cheio de segredos. Gente, tinha tudo para dar certo mesmo!

Meu problema com a leitura começou com os personagens. Midas é um fotógrafo e a vida dele não tem nada de interessante acontecendo na verdade. Enquanto Ida, nossa protagonista feminina passa a sentir muita dor nos pés e acha que tem um espinho ou uma pedra perfurando sua carne. Porém, ela está se transformando em vidro e não há nenhuma explicação para isso. É apenas aceite e fim.

A escrita muito detalhada de Ali Shaw é cansativa e fiquei um pouco entediada, pois como disse a paisagem é monocromática, ou seja, tudo em tons de branco e azul claro para combinar com a capa. O livro me entediou mais do que animou. Foi uma imensa decepção pela falta de explicações importantes de um lado e do outro pelo excesso de informações desinteressantes.

Fico boba em ver as notas do Skoob, de verdade. Porque como disse no começo da resenha, quando iniciamos nossas aventuras pelos livros, nossas referências são baixas e acabamos caindo no deslumbre de livros diferentes, porque sim, esse livro é bastante diferente e como já citado, tinha tudo para dar certo.

O final foi bastante previsível sim! Pelo menos da metade para o fim da história, onde Midas corre contra o tempo para procurar uma cura para Ida, já sabemos que não vai dar tempo. O autor poderia ter trabalhado todo o mistério e encontrar pelo menos o motivo das pessoas se transformarem em vidro, mas nem isso ele o fez.

Deixe um comentário

• Bem vindos!
• Antes de comentar, leia a postagem.
• Estou aberta a críticas, elogios e sugestões. Porém, use o bom senso.
• Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu retribua a visita.
• Volte sempre!